Polícia

Criminoso acusado de matar covardemente uma mulher na zona sul de Macapá é preso pelo Bope

Um criminoso acusado de ter assassinado há quatro meses, de forma covarde e brutal, uma mulher na zona sul da cidade de Macapá, foi preso na noite desta terça-feira, 20, por militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) que faziam patrulhamento de rotina na Rua Claudomiro de Moraes, no bairro Novo Buritizal.

De acordo com o capitão Hércules Lucena, comandante da Ronda Ostensiva Tática Motorizada (Rotam) – 1° companhia do Bope -, Washington Pinto do Amaral, conhecido como “Gurupá”, de 29 anos, é o principal acusado do homicídio que vitimou Elizângela Fernandes da Trindade, assassinada no dia 10 de março, aos 36 anos de idade.

Segundo o capitão Hércules a região é dominada por facçãpo

O crime aconteceu em uma área de ressaca da Rua Benedito Lino do Carmo, no bairro Congós, após a remoção do corpo de um comparsa de Gurupá, identificado como Rosinei da Costa Costa, o “Nei”, que trocou tiros com a polícia e morreu no confronto.

“Aquela região é dominada por essa facção. Naquela noite, houve essa intervenção policial com as nossas equipes, onde esse criminoso, conhecido como Nei, acabou vindo a óbito. Assim que a polícia saiu do local, esse outro faccionado, que também atirou nos nossos homens, mas conseguiu se esconder em uma mata, matou essa vítima a tiros. E, não satisfeito, desferiu várias pauladas na região da cabeça dela. Tudo porque, ele acreditava que essa mulher foi quem denunciou as ações delituosas que esses membros dessa organização criminosa vinham cometendo ali”, detalhou o comandante da Rotam.

À época do crime, Nei morreu em confronto

Washington é apontado pela polícia como a liderança da facção na região. Ele havia sido preso ano passado por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Pouco antes de assassinar Elizângela, o criminoso foi posto em liberdade. No entanto, com as investigações chefiadas pela delegada Marina Guimarães, da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), que apurou o caso, Gurupá teve o mandado de prisão expedido pela Justiça.

O mesmo foi conduzido para o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do Pacoval. De lá, ele foi levado para a Polícia Científica (Politec), onde foi submetido ao exame de corpo e delito, antes de ser encaminhado para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo