Polícia

Polícia começa a seguir novas linhas de investigação para o sumiço de adolescentes em Calçoene


O portal alynekaiser.com.br foi informado por uma fonte que participa das buscas aos dois adolescentes que se perderam em uma área de floresta no Município de Calçoene, distante a 356km da capital amapaense, que outras linhas de investigação começaram a ser seguidas, e que o desaparecimento dos meninos pode estar relacionado ao tráfico de drogas.

De acordo com a fonte, que pediu para não ser identificada, há muitas informações desencontradas sobre o sumiço dos jovens, por isso, diligências policiais começaram a ser feitas nas casas de familiares de um dos garotos.

“Como tem muita gente no mato, foram iniciadas essas diligências, porque os familiares de um desses meninos, são quase todos envolvidos com o crime, com o tráfico de drogas, inclusive com passagens pela penitenciária. Estão com muitas informações desencontradas, cada hora é uma história. Esses rastros que encontramos na mata, é uma coisa muito isolada, uma marca só de um pé, depois não tem mais nada. O que nos chamou a atenção também, é a mãe que tá muito de boa. Ou seja, tá tudo muito estranho. Ficamos sabendo ainda, que esse garoto já estava querendo se envolver nesse meio. Informantes disseram que ele já estava repassando drogas. Ele tem um irmão, menor também, muito parecido com ele, que é totalmente envolvido com a criminalidade. Já passou pelo abrigo por tráfico, roubo e furto”, revelou a fonte.

Ainda segundo informações, na tarde de ontem, 16, um dos tios do garoto foi conduzido à Delegacia de Polícia de Calçoene. O mesmo esteve por um ano e meio na cadeia por tráfico de drogas e, a princípio, estava resistindo em ajudar as equipes nas buscas. Depois aceitou, mas estava em atitude suspeita e não repassava informação concretas para a polícia. Na DP foi constatado que ele está em liberdade provisória.

Nosso portal também tomou conhecimento que os garotos se conheceram no mesmo dia que desapareceram.

Hoje, 17, completam dez dias das buscas por Fabrício de Oliveira e Renato Siqueira, de 13 e 14 anos de idade. Dois caminhões com homens do Exército Brasileiro e equipes da Guarda Florestal chegaram nesta sexta-feira, 16, na cidade para dar reforço aos trabalhos iniciados pelo Corpo de Bombeiros, militares do destacamento de Calçoene e da Companha de Operações Especiais (COE) do Bope, e Grupamento Tático Aéreo (GTA).

Lembre o caso

Fabrício e Renato desapareceram no dia 8, quando entraram na mata para, supostamente, apanhar açaí. Eles estavam acompanhados de uma cachorra. O animal foi localizado na noite da última quarta-feira, 14, bastante debilitado, com fome e com ferimentos de cobra. A cadela Duquesa foi alimentada e medicada, em seguida, encaminhada ao veterinário.

Os agentes da segurança pública recebem o auxílio de moradores e mateiros locais, e dos familiares dos desaparecidos. O mal tempo tem prejudicado os trabalhos. As chuvas deixam o terreno alagado e impedem as equipes de detectar rastros que possam ter sido deixados pelos meninos. O local é de difícil acesso, o que prejudica a comunicação. A mata é primaria e virgem.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo