Polícia

PC prende acusados de estupro de vulnerável no dia de combate ao abuso de crianças e adolescentes

18 de maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração de Crianças e Adolescentes.
No Amapá, para marcar a data, a Polícia Civil, através da delegacia de repressão a esse tipo de crime, a Dercca, realizou uma operação e deu cumprimento a ordens judiciais contra pessoas condenadas por estupro de vulneráveis. Dois homens que estavam com mandados de prisão em aberto, foram presos e encaminhados à Penitenciária.

Delegado Entringe

O delegado Ronaldo Entringe, que coordenou a ação, disse que em Macapá os números de casos são consideráveis. “Na verdade essa operação acontece desde o início do mês, com os levantamentos de praxe e as investigações. Ontem prendemos uma pessoa e hoje capturamos mais duas, condenadas pela prática do crime de estupro de vulnerável. A demanda na nossa capital é muito grande, mas não é diferente de nenhum outro estado da federação, infelizmente”, lamentou.

Prisão

Segundo os dados da Polícia Civil (PC), a maioria dos abusos contra crianças e adolescentes acontecem dentro da própria casa e são praticados por pessoas próximas às vítimas.

“Na sua predominância, infelizmente, os abusadores são cometidos por quem menos se espera. São praticados por pais biológicos, padrastos, irmãos, tios ou amigos da família. Depois vem a escola. Nós temos casos de professores que abusaram sexualmente de seus alunos”, revelou a autoridade policial.

O delegado disse ainda que a principal dificuldade da polícia em atuar em casos como esses, é a falta de denúncia por parte, principalmente, da mãe das vítimas.

Mais um mandado sendo cumprido

“A sociedade, de modo geral, tem contribuído com a gente, fazendo denúncia de forma anônima. O nosso problema é com os familiares próximos a essas vítimas, em nos trazer informações. Há muita resistência, porque na maioria das vezes o mantedor da casa é o abusador. E isso faz com que os abusos se prolonguem “, disse Entringe.

Os casos de abusos sexuais e exploração de crianças e adolescentes podem ser denunciados, inclusive anonimamente, através do 181 da Polícia Civil.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo