Covid-19

Teve perda de memória pós Covid-19? Entenda


A verdadeira prevalência de problemas cognitivos em sobreviventes da COVID-19 é ainda um grande questionamento e, muitas causas subjacentes de sintomas persistentes são objeto de estudos em andamento. Muitas pessoas tem relatado dificuldade de pensar, concentrar e lembrar, sendo estes os sintomas mais debilitantes de “longa duração”, podendo persistir por até meses.

À medida que mais e mais pessoas buscam ajuda para superar sua “névoa” cerebral em clínicas e unidades de saúde para tratamento pós-COVID-19, pesquisadores e médicos estão se voltando para tratamentos desenvolvidos para derrames e lesões cerebrais traumáticas.
O comprometimento cognitivo é comum após doenças graves. Está entre os sintomas de uma condição chamada síndrome de tratamento pós-intensivo, que pode seguir após o isolamento, a imobilidade e a sedação de uma internação hospitalar.

A COVID-19 grave pode causar danos ao cérebro durante sua fase aguda. O SARS-CoV-2 raramente pode invadir o tecido cerebral diretamente; acredita-se que a maioria dos danos neurológicos se origine dos efeitos indiretos da infecção, como inflamação, derrame e falta de oxigênio.

Após a lesão cerebral, a reabilitação cognitiva geralmente envolve testes para identificar fraquezas cognitivas e treinamento para ajudar os pacientes ao retorno das atividades de vida diária. Frequentemente, o foco é compensar os déficits, não os eliminar de uma vez.
Existem outras explicações possíveis para deficiências cognitivas como sono e exaustão, dor, estresse e depressão – todas essas questões não neurológicas também desempenham um papel em nosso funcionamento cognitivo. Prejuízos cognitivos enraizados na depressão ou estresse não são menos “reais” do que aqueles causados por lesão direta no cérebro.
Fonte: https://doi.org/10.1002/acn3.51350

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo