AmapáCovid-19

Amapá recebe segunda remessa de cilindros de oxigênio para evitar desabastecimento no estado

O Amapá recebeu a segunda remessa de cilindros de oxigênio que irão compor a retaguarda da rede de saúde e evitar o desabastecimento no estado.

A carga, de 10 mil metros cúbicos em 268 cilindros, chegou nesta terça-feira, 23, e somados a primeira remessa de 282 cilindros tem capacidade de 20 mil metros cúbicos de oxigênio.

A chegada dos insumos foi um acordo estabelecido entre o governo do estado e a empresa White Martins para o fornecimento total de 582 cilindros. O transporte para a capital foi articulado pelo senador Davi Alcolumbre, junto a força aérea, que trouxe a carga.

Além da chegada desses cilindros, as usinas de oxigênios de Oiapoque e Laranjal do Jari já estão em fase de conclusão para atender as regiões norte e sul do Estado.

Segundo levantamento da Secretaria de Estado da Saúde, antes da pandemia, o estado atendia suficientemente a demanda total com um estoque de 100 mil metros cúbicos de oxigênio por mês. Um ano depois esse consumo subiu quase 70%, passando a 169 mil metros cúbicos/mês.
A chegada desse estoque em cilindros visa garantir atendimento aos pacientes da rede hospitalar estadual e ainda auxiliar os municípios que por ventura sofrerem com a falta do insumo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo