Polícia

Criminoso morre depois de ameaçar atirar em militares do Bope

Depois de receber uma denúncia anônima, informando o paradeiro de um indivíduo que estava foragido da justiça local, uma equipe da Ronda Ostensiva Tática Motorizada (ROTAM) do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), se deslocou para a Zona Sul da cidade de Macapá, na tentativa de capturar o criminoso. Mas, segundo informações dos militares, o homem identificado como Jaimenson Ataíde dos Santos, de 21 anos de idade, conhecido como “Jamico”, resistiu à prisão e esboçou atirar na guarnição.

“Nossos policiais foram averiguar a denúncia e dar cumprimento a este mandado. Porém, quando se aproximaram da casa onde o elemento estava escondido e anunciaram a voz de prisão, o mesmo tentou fugir pelos fundos, mas percebendo que estava encurralado, sacou uma espingarda calibre 12, apontando para nossos homens, que não tendo alternativa e com o intuito de resguardar suas vidas, agiram primeiro. O indivíduo foi alvejado e não resistiu”, contou o major Kleber Silva, comandante do Bope.

O fato aconteceu nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira, 22, em uma área de pontes da 17° do bairro Congós. O socorro médico foi acionado. No entanto, quando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) chegou ao local, o criminoso estava sem vida.

Conforme constas na ficha criminal de Jaimenson, o mesmo já tinha passagens por roubos com refém, tráfico de drogas, homicídio e porte ilegal de arma de fogo.

“Era um criminoso muito conhecido da polícia e com várias passagens, pelos mais diversos crimes. Inclusive, alguns desses crimes ficaram conhecidos nacionalmente. Um dos casos, no ano de 2016, esse elemento fez uma família toda de refém no bairro Zerão. Em outro, ele roubou a arma de um policial no município de Santana”, lembrou o comandante.

A Polícia Científica fez o trabalho de perícia no local e removeu o corpo para o Instituto de Medicina Legal (IML).

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo