Amapá

Em Calçoene: equipes retomam buscas por adolescente desaparecidos em floresta

Foram retomadas na manhã desta quarta-feira, 14, após uma ampla reunião de planejamento entre as Forças de Segurança do Amapá, as buscas pelos dois garotos que estão desaparecidos há sete dias em uma região de floresta, no Município de Calçoene – distante 370 km da capital Macapá. A ação ganhou reforço com a chegada de militares da Companhia de Operações Especiais (COE) do BOPE e do Grupamento Tático Aéreo (GTA), que utilizarão equipamentos tecnológicos para orientá-los no local que é de difícil acesso e complexo.

“Faremos sobrevoos. Os homens do GTA deixarão uma equipe da COE dentro da mata, onde abriremos um leque maior de buscas em pontos que não foram varridos. Procuraremos por pistas, rastros, pegadas, qualquer coisa que nos leve ao encontro dessas crianças”, prometeu o tenente Moura Silva da Companhia de Operações Especiais.

O comandante do destacamento da Polícia Militar daquela cidade, capitão Cecílio, enalteceu a importância do trabalho do Corpo de Bombeiros, que está na região desde o início das buscas.

“Não podemos esquecer jamais desses bravos guerreiros que desde a semana passada, quando tomaram conhecimento do sumiço desses meninos, tem realizado incursões na tentativa de encontrá-los. Decidimos acionar as demais corporações da Segurança Pública para ajudar, porque sabemos que eles estão bastante cansados, mas empenhados na missão. As buscas agora estão maximizadas e tenho certeza que teremos êxito nas próximas horas”, destacou Cecílio.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Calçoene, vereador Wesley (PL), o raio de cobertura das buscas na área de mata será ampliado. Além dos agentes da segurança, moradores e mateiros da localidade auxiliam na procura pelos adolescentes desaparecidos nas margens do rio e pela selva. Pelo menos 20 pessoas se revezam diariamente nas buscas pelos garotos.

O desaparecimento

Fabrício de Oliveira e Renato Siqueira, de 13 e 14 anos de idade, saíram na manhã da última quinta-feira, 8, para apanhar açaí e não foram mais vistos. Os meninos estavam na companhia de um cachorro. Desde então, começou a procura incansável para localizar os menores.

Nesta terça-feira, 13, as buscas tiveram que ser interrompidas por causa do mal tempo, sendo reiniciadas agora pela manhã.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo