Amapá

Lúpus: diagnóstico precoce garante qualidade de vida aos pacientes

Hoje, 10 de maio, é o Dia Mundial do Lúpus, doença autoimune que atinge aproximadamente 150 mil brasileiros por ano. O lúpus age condicionando as células de defesa para que elas ataquem as células saudáveis do organismo, ocasionando inflamações em diversas partes do corpo. É comum que aja inflamação especialmente nas articulações, olhos, pele, cérebro, pulmões, coração e rins. A enfermidade é mais comum em mulheres na faixa etária de 14 a 45 anos, mas também acomete homens.

Os sintomas normalmente surgem desde o nascimento e vão se apresentando no decorrer da vida. Apesar disso, é comum que a doença seja diagnosticada anos após o surgimento dos primeiros sintomas, por conta de alguma crise mais forte após infecção medicamentosa ou exposição prolongada ao sol. Lúpus não tem cura, mas existem tratamentos quem aliviam os sintomas e conseguem prover qualidade de vida ao paciente.

De acordo com o reumatologista do Hospital das Clínicas Alberto Lima (Hcal), Marco Túlio, os sintomas podem aparecer de forma mais intensa durante crises e durar de dias a semanas e depois desaparecer, mas também podem se apresentar de forma constante.

A doença varia bastante de pessoa para pessoa. Por conta da semelhança dos sintomas com outras enfermidades, o diagnóstico pode demorar devido ao processo de investigação. Ainda não existe um exame especifico capaz de diagnosticar lúpus e por isso o médico observa e avalia diversos fatores, desde os sintomas apresentados pelo paciente até o histórico de saúde  familiar”, completou o médico.

No Amapá, o tratamento realizado no Hcal atua para remediar os sintomas do paciente e, por isso, é necessário consultar o médico especializado que atenda a área afetada pelos sintomas apresentados. Os tratamentos geralmente envolvem anti-inflamatórios, antimaláricos, corticoides e imunossupressores. Para ter acesso, é necessário marcar consulta través do Super Fácil e aguardar encaminhamento.

Por ser uma doença que afeta diversas partes do corpo, incluindo órgãos internos, os sinais e sintomas variam de uma pessoa para outra, mas os mais comuns incluem:

Febre;

Queda de cabelo;

Sensibilidade à luz;

Cansaço excessivo;

Dor e rigidez muscular;

Dor e inchaço nas articulações;

Manchas vermelhas na pele (principalmente na face e em áreas do corpo expostos ao sol). (Foto: Karla Santos).

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo