Polícia

Operação Quadro Escuro: Prefeitura de Santana comprou 7200 apagadores de quadros brancos e só recebeu 43, diz PF.

A operação Quadro Escuro deflagrada na manhã desta terça-feira, 13, pela Polícia Federal do Amapá (PF), que visa apurar possíveis desvios de verbas destinadas à aquisição de material escolar, constatou que dos 7200 aparadores de quadros brancos adquiridos só foram recebidos 43.

Outra irregularidade encontrada, foi na compra de 2.800 cadernos do tipo brochurão, contidos em licitação pela Secretaria Estadual de Santana, onde, segundo a PF, somente 184 foram adquiridos no ano de 2014. À época o prefeito era Robson Rocha.

Em nota, a Polícia Federal, disse que as investigações apontaram indícios que o município teria contratado uma empresa de fachada, por meio de licitação fraudulenta, e que a mesma recebeu mais de 1 milhão de reais no certame. Deste valor, pelo menos R$ 700 mil foram desviados.

Durante o cumprimento dos três mandados de busca a apreensão, uma equipe da Polícia Federal localizou munições e uma arma de fogo com a documentação vencida. O armamento foi apreendido.

Os envolvidos poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, associação criminosa e fraude à licitação. Se condenados, os acusados poderão pegar até 24 anos de prisão.

A operação contou com o efetivo de 12 policiais federais e com o apoio do Ministério Público Federal (MPF). Os mandados foram cumpridos com o objetivo de identificar documentos que comprovem a conduta criminosa. O nome Quadro Escuro, seria em referência a uma lousa de sala de aula sem conteúdo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo