Polícia

Traficante amapaense é preso pela ROTA em São Paulo após fugir com documentos falsos do AP

Um dos líderes de uma organização criminosa atuante no Estado do Amapá, acabou preso na tarde de ontem, 22, por uma equipe da ROTA na cidade de São Paulo.

Rian Breno da Silva Gemaque, o “Mosquito”, como é conhecido, estava com pelo menos dois mandados de prisão em aberto pelos crimes de tráfico de drogas e receptação. Ele acabou localizado e preso, depois da integração entre o Batalhão de Operações Especiais (Bope) do Amapá e a PM do Estado de São Paulo.

Segundo informações, além de estar na condição de foragido de Justiça, Mosquito portava documentos falsos na hora da abordagem policial. Os mesmos utilizados para deixar o Amapá. “A detenção desse faccionado amapaense, aconteceu graças a esse intercâmbio entre as polícias. Nossa equipe de ROTAM repassou informações importantes aos militares da ROTA que, por meio de larga experiência, conseguiram abordar o criminoso. Ele apresentou documentação falsa, na tentativa de ludibriar os agentes de segurança pública daquele Estado, mas logo a casa dele caiu”, contou o comandante da ROTAM-AP, capitão Hércules Lucena.

A prisão ocorreu aconteceu graças a esse intercâmbio entre as polícias, disse Hércules

Ainda de acordo com o capitão, o criminoso confessou ter embarcado no aeroporto de Macapá, utilizando a documentação falsa e que resolveu fugir do Estado por temer a polícia local. Afirmou ainda, fazer parte de uma facção, cuja a principal atividade dentro da organização era a mercância de drogas. A ROTA fez a apresentação do foragido da justiça amapaense à autoridade judiciária, que tomará as providências cabíveis.

Essa não é a primeira vez que uma ação integrada, entre o BOPE do Amapá e batalhões especializados de outras polícias da nação, gera resultados positivos. Em julho do ano de 2020, outro foragido do Amapá, apontado como líder de uma facção, foi surpreendido no Estado do Mato Grosso do Sul, devido ao importante intercâmbio de informações. “Não adianta sair do Estado para se esconder, não existe local no Brasil onde possam se esconder, nossa família BOPE está em todo lugar”, alertou Kleber Silva, comandante do Bope AP.

Não adianta sair do Estado para se esconder, disse Major Kleber
Momento da prisa

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo