AmapáCovid-19

Unimed nega falta de notificação à órgãos de saúde sobre pacientes de Manaus

O Hospital Unimed Fama Macapá se pronunciou a respeito das três pacientes transferidas de Manaus para o Estado. O caso tomou conta das redes sociais no ultimo fim de semana, após o governador Waldez Góes ter sido informado pela Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS), da internação das pacientes sem a notificação obrigatória às autoridades locais ou nacionais.

Em nota o hospital afirma que as notificações foram feitas diretamente ao Ministério da Saúde, em razão da COVID-19 ser classificada como uma Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional. As transferências segundo o hospital foi realizada em aviões credenciados e autorizados pela ANACE obedecendo a todos os protocolos médico-sanitários e de segurança.

O hospital também afirma que a “decisão obedeceu ao clamor dos hospitais credenciados, que estavam com seus leitos lotados e sem capacidade de atender nenhum novo paciente em seus Pronto Atendimentos, aliado à falta de oxigênio amplamente noticiada pela midia nacional e internacional, bem como à solicitação do Ministério Público e decisão judicial do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas”.

Confira nota na integra:

A Unimed Fama vem a público informar que em decorrência da grave crise sanitária na cidade de Manaus causada pelo grande aumento dos casos de COVID-19, foi necessário colocar em prática uma operação de emergência para continuar dando o necessário suporte à vida de seus beneficiários.

Tal decisão obedeceu ao clamor dos hospitais credenciados, que estavam com seus leitos lotados e sem capacidade de atender nenhum novo paciente em seus Pronto Atendimentos, aliado à falta de oxigênio amplamente noticiada pela midia nacional e internacional, bem como à solicitação do Ministério Público e decisão judicial do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas.

Em frente ao cenário, foi providenciado de imediato a criação de um Grupo de Trabalho Multiprofissional, com o fim especifico de dar apoio aos pacientes e seus familiares, envolvendo inclusive o transporte aéreo-médico (UTI AÉREA), feito em aviões devidamente autorizados pela ANACE obedecendo a todos os protocolos médico-sanitários e de segurança.

É importante destacar, ainda, que esses pacientes já estavam internados e em tratamento hospitalar, com as devidas Notificações Compulsórias para COVID-19, imediatamente realizadas pelos estabelecimentos que suspeitavam ou confirmaram o diagnóstico, no caso os hospitais de origem, onde se encontravam até o momento da transferência. Tais notificações devem ser feitas diretamente ao Ministério da Saúde, em razão da COVID-19 ser classificada como uma Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional e, portanto, se faz obrigatório o registro dos dados nos sistemas federais de informação. Tal medida evita, inclusive, a duplicidade dos mesmos em casos de transferências.

Dessa forma, destacamos que todas as transferências ocorreram para hospitais devidamente credenciados à Operadora, não tendo sido ocupado nenhum leito da rede pública, e tendo como prioridade imediata salvar vidas, considerando o estado de emergência em que se encontra o Estado do Amazonas. Inclusive esta é a recomendação do próprio Ministro da Saúde, que afirmou em entrevista coletiva, que semas remoções não há como equacionar a questão no Amazonas.

Por fim, a Unimed Fama agradece a toda equipe do Hospital Central de Macapá que fez todos os procedimentos de forma correta e adequada. Reforçamos, ainda, nosso compromisso irrestrito com a vida e a superação dos obstáculos inerentes ao momento difícil por que todos estamos passando, nos colocando à disposição dos órgãos competentes para prestaras informações que julguem necessárias.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo