Polícia

Após duas horas e meia de negociação bandidos se entregam e liberam as vítimas

Por voltas das 11h30 desta quinta-feira, 8, depois de duas horas e meia de tempo, os dois criminosos que mantinham uma família refém, em uma residência localizada na rua Italiotas, no bairro Renascer – Zona Norte de Macapá, se renderam à polícia e liberaram as vítimas.

Inicialmente, acreditava-se que quatro pessoas estavam sob a mira do revólver dos bandidos. Mas no final das negociações, uma mulher que conseguiu se esconder em um dos quartos da casa, foi encontrada pelos militares.

“Houve dois contatos com o 190. O primeiro de uma pessoa que passava pelo local na hora que eles entraram na casa, e o outro, desta vítima que conseguiu se trancar em um dos cômodos do imóvel. Ela mantinha a polícia informada do que estava acontecendo lá dentro”, contou o comandante do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Major Klever Silva, que foi acionado, posteriormente, para assumir a ocorrência.

Ainda de acordo com o major, a maioria do tempo, as negociações foram feitas pelo telefone e sem o contato visual. O que acabou dificultando o trabalho dos policiais.

Cleberson Santos Moura, de 26 anos de idade e Iranildo da Silva Lopes, de 19, conhecido como “Ratão”, revelaram à polícia que estavam sob efeito de drogas e que o alvo foi escolhido aleatoriamente. A dupla chegou a gravar vídeos enquanto mantinha as pessoas sob cárcere privado, fazendo algumas exigências às forças de segurança. Os mesmos foram divulgados nas redes sociais.

“Depois de rendidos, eles falaram que estavam passando, viram a oportunidade e entraram. Também contaram que haviam feito o uso de substâncias entorpecentes. Chegaram a ficar, em alguns momentos, durante as conversações, bastante tensos, mas com a expertises e técnicas dos nossos policiais, voltaram a manter a calma até se entregarem”, disse o comandante do Bope.

Após a rendição, os criminosos foram algemados e conduzidos para a seccional de flagrantes da capital amapaense. A arma de fogo, um revólver calibre 32 que foi utilizada por eles para render a família, foi apreendida e apresentada pela equipe do 2° BPM na delegacia. As vítimas, ao serem liberadas, foram atendidas no local por socorristas do Corpo de Bombeiros.

Durante a averiguação dos nomes dos envolvidos junto ao sistema judiciário, constou que Cleberson tem passagem pelo Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) pelo crime de tráfico de drogas e que, Iranildo, havia saído recentemente da cadeia estadual, onde respondeu por roubo.

A tomada de refém

De acordo com informações, após serem frustrados por uma equipe do 2° Batalhão da Polícia Militar, a dupla que adentrou a residência das vítimas no intuito de praticar um roubo, decidiu render os moradores.

Os bandidos teriam entrado na casa por volta das 9h e um vizinho, percebendo a movimentação estranha, acionou a polícia. A guarnição do 2° BPM foi a primeira a chegar e, de imediato, fez o contato com os bandidos. Em seguida, acionou o batalhão especializado.

Ninguém ficou ferido, mas a primeira refém foi liberada porque estava passando mal e precisava de atendimento médico. Ela foi por meios próprios para o hospital. Uma hora depois, os perpetrores libertaram a segunda vítima.

Entre as exigências feitas pelos assaltantes estava a presença de familiares, da imprensa e coletes balísticos. Apenas a terceira não foi atendida.

Policiais do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) ajudaram na contenção e isolamento ao entorno do local.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo