Polícia

Homem matou mototaxista com facadas e pauladas

Em depoimento na manhã de hoje (12), Adriano Tavares Pureza, de 34 anos, que já tem passagens pela penitenciária, pelos crimes de roubo e homicídio, detalhou ao delegado Dante Ferreira, da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (Decipe), a dinâmica do hediondo. Ele matou Silvan dos Santos Farias com dois golpes de faca e pauladas.

De acordo com ele, na tarde do dia 25, ele viu a moto da vítima passar em uma via do bairro Zerão – Zona Sul de Macapá. Ao identificar o veículo pela placa, ele se fez passar por passageiro e pediu uma corrida até a linha E do KM 9.

Faca utilizada para matar o mototaxista

Assim que chegou a seu destino, ele rendeu Silvan e o golpeou com duas facadas no pescoço. Para concluir sua execução, Adriano usou um pedaço de madeira e atingiu o mototaxista na região da cabeça. A dinâmica do crime, bate com a perícia inicial da Polícia Técnico-Científica (Polite).

Ainda segundo a oitiva do assassino, depois de verificar que a vítima estava morta, ele jogou o corpo dentro do poço Amazonas, com aproximadamenre 10 metros de profundidade, em uma propriedade particular, onde levou os militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na tarde desta segunda-feira, assim que foi preso.

Após ser ouvido pela autoridade policial, o acusado teve a prisão preventiva socilitada à justiça amapaense, que acatou o pedido.

De acordo com o delegado Dante Ferreira ele tem uma extensa ficha criminal e já respondeu por dois homicídios além de ser investigado por outro assassinato. Calanguinho respondia pelos crimes em regime domiciliar aberto.

“O assassino já cumpriu pena no Iapen e já foi condenado. Agora a justiça deu uma resposta a sociedade, já que esse crime foi de comoção social. Além de ter assassinado o mototaxista, ele ainda ocultou o corpo por mais de 15 dias”, disse o delegado Dante.

Adriano deve responder pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

O assassino estava trabalhando como carpinteiro no sítio, que pertence a um desembargador do Amapá. Ele informou que recebeu a ordem para matar Silvan de um chefe de facção de dentro do Iapen.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo