Amapá

Equipes se preparam para mais um dia de buscas pelos garotos desaparecidos na mata em Calçoene

As Forças de Segurança iniciaram na manhã deste domingo, 18, mais um dia de buscas por Renato Siqueira de Jesus, de 13 anos de idade e Fabrício Oliveira Barbosa de 14, perdidos há 11 dias em área de floresta nativa no Município de Calçoene, distante há 365km da capital amapaense.

As chuvas que caíram desde a madrugada na cidade atrasaram o começo das varreduras por algumas horas. Mas o tempo foi sanado com estratégias e planejamento entre as equipes.

Na Câmara de Vereadores, onde está funcionando o Posto de Comando, familiares de um dos garotos que estão participando diariamente dos trabalhos de procura, acompanharam de perto as instruções e orientações dos comandantes.

A equipe do Portal alynekaiser.com.br conversou com o pai de criação do menino Renato. Seu João Monteiro Ramos contou que desde que soube do sumiço do filho fez questão de participar das buscas e que não perde as esperanças de encontrar o menino com vida.

Pai de Renato acredita que ele está vivo

“Eu acredito que ele está perdido, porque se tivesse acontecido alguma coisa de ruim a gente já sabia. Todo mundo aqui nessa cidade conhece a gente. Eu sei que para um adulto é difícil se manter por muito tempo num lugar como esse. Para uma criança deve ser pior ainda. Mas eu creio, meu coração de pai, mesmo apertado, me diz que ele está vivo. Mesmo que não esteja em condições de andar, debilitado, fraco eu tenho muita esperança de encontrar meu menino”, disse seu João.

Quem era o filho Renato?

“Um menino tranquilo e obediente, que só saia de casa com a permissão da mãe ou minha. Nunca fez nada de errado ou me deu trabalho”, assim descreveu seu João Ramos pai adotivo de Renato Siqueira, de 13 anos.

João relatou que cria o menino desde que o mesmo tinha 8 meses. Sobre o ocorrido, ele falou que estava trabalhando no distrito de Lourenço, quando soube do fato.

“Assim que me avisaram, voltei para casa para procurar meu filho. Ele pediu para passar o feriado da Semana Santa com a mãe biológica nesse assentamento. Ela é sobrinha da minha esposa e também foi criada por nós. O Renato não conhecia nada daquele lugar e nem ninguém”, revelou o pai do garoto perdido.

Relembre o desaparecimento

Fabrício de Oliveira, de 14 anos e Renato Siqueira, de 13, teriam saído no dia 8, de um assentamento para apanhar açaí e se perdido na mata virgem.
A versão de que eles estariam na companhia de um cachorro foi desmentida quando o animal foi localizado na noite da última quarta-feira, 14. A Polícia Civil, que investiga o desaparecimento dos adolescentes, constatou que a cachorra, de nome Duquesa, pertence a outra pessoa.

O Corpo de Bombeiros reforçou na noite de ontem, 17, que até o momento não foram encontrados indícios da estada de Renato e Fabrício pela região de floresta. Pegadas achadas ao longo da varreduras podem ser de mateiros e caçadores.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo