AmapáCovid-19

Fecomércio pede que governo adote mais medidas de fiscalização ao invés de Lockdown

Presidente da federação diz que um novo fechamento seria uma tragédia para os trabalhadores

A possibilidade do Governo decretar um novo Lockdown no estado do Amapá gerou a manifestação de diversos segmentos econômicos, entre eles a Federação do Comercio (Fecomércio), que pede a intensificação das fiscalizações e a abertura de novos leitos, ao invés do fechamento total das atividades.

Segundo o presidente da federação, Eliezir Viterbino, a atitude tem ainda um agravante maior, no primeiro lockdown os brasileiros tinham o auxilio emergencial, que de alguma forma ajudou muitos trabalhadores na primeira onda de contágio. Agora, sem o auxílio dado pelo Governo Federal, uma paralisação das atividades representaria uma grande tragédia para todos que direta ou indiretamente dependem do comércio.

“Nós reconhecemos que o momento é delicado, seja pela lotação do HU, pelo ritmo lento da vacina e pelas novas variantes, só que é importante destacar que o comercio não é o setor de contágio responsável por essa nova onda de casos. Temos dados estatísticos que mostram que o período em que o comercio foi fechado pela primeira vez o ciclo de contaminação continuou o mesmo. Paralisar as atividades, em um momento como esse, sem o auxilio financeiro para a população representaria uma grande tragédia na vida de milhares de brasileiros que não terão como se manter”, declarou Viterbino.

Ainda de acordo com o presidente, o aumento dos casos se dá pela crise comportamental de muitos amapaenses que insistem em desobedecer decretos e protocolos de seguranças. “As pessoas não estão respeitando os decretos no que tangem as aglomerações, ao uso de mascaras, e principalmente nessas organizações de festas clandestinas, que devem ser combatidas. O que pedidos é exatamente que tenha a intensificação dos leitos hospitalares clínicos e de UTI de acordo com a demanda, e das fiscalizações. Nosso pedido é que o poder público cumpra com o dever que é de policia de fiscalizar e puna aqueles que não estão cumprindo as normas”.

A federação aguarda uma reunião com o governador Waldez Góes, com o prefeito da capital Antônio Furlan e o comitê de enfrentamento à Covid-19, para que o posicionamento da federação, bem como o relatório que o órgão possui sejam apresentados.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo