Polícia

Frieza: jovem confessa que matou namorada de 14 anos porque ela não quis abortar

Após um minucioso e ininterrupto trabalho de investigação, a equipe da Polícia Civil (PC) do município de Tartarugualzinho – a 321 quilômetros de Macapá -, chefiada pelo delegado César Augusto Vieira, prendeu em flagrante, o principal acusado de ter assassinado, com requintes de crueldade, Larissa Eduarda Gomes da Silva, de 14 anos de idade.

A jovem tinha 14 anos

Willian Souza de Oliveira, que tem 20 anos, confessou em depoimento ser o autor do crime. Durante o interrogatório, ele revelou que matinha um relacionamento com a garota desde o fim de abril, mas que o namoro deles foi interrompido um mês depois, já que ela havia se envolvido com outro homem. Ele contou ainda, que chegou a dormir na casa da vítima pelo menos oito vezes, e que após o término com Larissa, ficou sem falar com a mesma, vindo fazer contato apenas essa semana, quando tomou conhecimento que ela estaria grávida.

Delegado responsável

O autor das facadas na menina, disse também que após confirmar a gravidez com o teste rápido, pediu para que ela abortasse a criança. O pedido, segundo William, foi negado, motivo pelo qual ele deciciu tirar a vida de Larissa Eduarda.

Premeditação

Depois que soube que Larissa não iria interromper a gravidez William deciciu assassinar a jovem. Assim que recebeu o convite dela para que fosse dormir na casa, William vestiu um moletom, colocou chapéu, máscara, e com uma faca de mesa na cintura, pulou o muro de sua residência, para que não fosse visto saindo, por seus familiares.

Ao chegar na casa da vítima, já pela madrugada de quinta-feira (9), ele contou que deitou na cama e colocou a arma em baixo da mesma e, novamente, questionou se ela queria ter aquela criança. Larissa, de acordo com William, respondeu que sim. Ele então pediu o telefone celular da mesma, alegando que iria usar a laterna para ir ao banheiro, mas foi até a cozinha do imóvel e pegou uma faca maior, acreditando que a que havia levado, não daria para executar o crime.

Assim que retornou para o quarto, o réu confesso colocou a arma em baixo da cama e voltou a conversar com a vítima, para deixá-la mais a vontade e vulnerável. Em seguida, ele colocou uma de suas mãos nos olhos dela e, com a outra, pegou o objeto, na intenção de desferir apenas um corte profundo na garganta. Entretanto, ao perceber a atitude do namorado, Larissa Eduarda tentou reagir e fugir de seu algoz. Porém, recebeu um golpe no peito. A adolescente, conforme relatos do próprio acusado, tentou pedir socorro, no entanto, recebeu uma sequência de facadas, até não resistir.

Depois do homicídio, William voltou para casa e se desfez das roupas que vestia e do telefone da vítima. Com bastante frieza, ele disse que ficou aguardando, ansioso, o momento que achassem o corpo da vítima, que só foi encontrado por volta das 19h30.

O caso

A garota foi encontrada morta, dentro da casa que morava, na avenida Presidente Dutra, com vários golpes de faca no peito, abdômen, costas e braço.

Segundo informações, após sentir o mau cheiro, uma vizinha de Larissa Eduarda encontrou o cadáver e acionou a polícia. Uma equipe de militares e agentes da civil foram para o local e constataram a veracidade dos fatos.

Com a chegada dos peritos da Politec, foi possível detectar que o crime havia ocorrido há cerca de oito horas.

William chegou a ir na cena do crime, como se nada tivesse feito, mas logo foi capturado.

Para o delegado Cesar Vieira, não há dúvidas que Willian é o autor do crime. Ele foi autuado por feminicídio e deverá ser submetido, ainda hoje (11), a audiência de custódia. A Justiça deve decidir pela conversão da prisão em flagrante para prisão preventiva, ou não.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo