Polícia

Motorista de app pode ter sido morto por engano. Atirador foi preso

Algerri tinha 23 anos

O motorista de aplicativo, Algerri Alves da Silva, de 23 anos, pode ter sido assassinado por engano. Após diligências desde que ocorreu a morte, na noite deste domingo, 17, agentes da 1° Delegacia de Polícia de Santana, comandados pelo delegado Felipe Rodrigues, conseguiram prender Caleb de Nascimento Lima, de 19 anos, que segundo a polícia é membro de uma facção criminosa e teria recebido ordens de dentro do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).
De acordo com o delegado, em seu depoimento, Caleb garantiu que o crime foi por vingança. O carro teria sido utilizado para transportar um homem que cometeu um homicídio de um membro da mesma facção. O delegado também informou que não há provas que Algerri teria levado o assassino. A data desse homicídio não foi revelada.

O crime
Caleb contou na Delegacia que uma mulher atraiu a vítima, que era sua amiga, para a corrida, na noite de domingo, 17, no município de Santana. Quando chegaram no bairro Provedor I, por volta das 19h20, a mulher desceu do veículo Mobi e Caleb atirou na cabeça da vítima. O caso foi tratado inicialmente como tentativa de assalto.
O motorista aínda foi levado por um carro particular ao Hospital de Santana e depois transferido para o Hospital de Emergências em Macapá, mas não resistiu.


Vários motoristas de aplicativos acompanharam o caso e estiveram em oração em frente ao Hospital. Ainda na noite de domingo mais uma motorista foi vítima de assalto desta vez no bairro Infraero II, em Macapá. Os motoristas de app fizeram uma manifestação em frente à Delegacia de Santana, pedindo mais segurança e a prisão do acusado.

Não resistiu
Algerri não resistiu à cirurgia e morreu no início da manhã desta segunda-feira, 18, no Hospital de Emergências de Macapá.

O Motorista de aplicativo teria comprado a pouco tempo o veículo para trabalhar

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo