Macapá

Motoristas de aplicativo fecham trecho da Av. FAB pedindo a redução de ICMS

Motoristas de aplicativo fecharam um trecho da Av. Fab pedindo a redução do valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível. A manifestação que aconteceu na manhã desta quinta-feira, 25, reuniu mais de 2 mil motoristas em frente a Assembleia Legislativa do Estado.

Na última semana os brasileiros foram surpreendidos por um novo aumento médio nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias da Petrobras, que estipulou o litro em R$ 2,48 e R$ 2,58 respectivamente. Um reajuste de R$ 0,23 para o litro da gasolina e de R$ 0,34 para o do diesel. O aumento tem impactado todos os motoristas, mas para os de aplicativo em especial tem gerado mais despesas do que lucro.

Segundo Jonathan Miranda, presidente de uma equipe de motoristas algumas corridas acabam saindo mais barato do que o litro da gasolina. Ele acrescentou que a classe pede a redução do imposto que incide sobre o preço da gasolina. Por isso, se dirigiram à sede do legislativo para tentar dialogar e buscar soluções. “Os aplicativos fazem promoções oferecendo descontos para os usuários, diminuindo ainda mais os preços da corrida, fazendo com que a gente não obtenha lucro. Antes conseguíamos manter nossas famílias com as corridas, mas agora com o valor abusivo da gasolina não compensa mais”.

O preço cobrado nas refinarias da Petrobras corresponde a cerca de 33% do preço pago pelos consumidores finais da gasolina e a 51% do preço final do diesel, segundo a estatal. Desde janeiro, a Petrobras já reajustou três vezes o preço do diesel e quatro vezes o da gasolina, que tinha o valor médio de R$ 1,84 em 29 de dezembro e agora R$ 2,48.

Atualmente Macapá tem cerca de 7 mil motoristas de aplicativos. Após a manifestação na Av. Fab eles se dirigiram para postos de combustíveis da capital. Agentes da companhia de transito e Guarda Civil Municipal acompanharam o protesto no local.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo