AmapáPolícia

MP desmente que o município de Pedra Branca seja alvo da operação ‘Octopus’

O Ministério Público desmentiu que a operação deflagrada na manhã da última sexta-feira (23), a operação ‘Octopus’, que teve o objetivo de desarticular um grupo criminoso que atua no desvio de recursos públicos no Amapá, tenha relação com o município de Pedra Branca do Amapari. As buscas coordenadas pelo Ministério Público Estadual (MP-AP) ocorreram somente em bairros de Macapá e 5 municípios (Santana, Cutias, Itaubal e Tartarugalzinho e Ferreira Gomes).

A assessoria de comunicação do MP informou que a promotora Andréa Guedes desmentiu que haja qualquer investigação envolvendo Pedra Branca do Amapari.

Em Nota oficial o MP-AP esclarece que: “A coordenadora do Grupo de Atuação Especial para Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público do Amapá (GAECO/AP), promotora de Justiça Andrea Guedes, vem por meio desta nota reafirmar que as investigações, decorrentes da Operação “Octopus, deflagrada na última sexta-feira (23), estão concentradas nos municípios de Ferreira Gomes, Cutias, Santana, Itaubal e Tartarugalzinho. A Prefeitura de Pedra Branca do Amapari não é alvo da investigação. O MP não se rende às pressões políticas e respeita rigorosamente os limites da lei, portanto, nenhum nome foi divulgado, porque o processo corre em segredo de Justiça.

A Operação “Octopus” é fruto de investigação iniciada em 2019, que apura o desvio de recursos públicos por uma suposta Organização Criminosa no Estado (ORCRIM), que estaria cometendo crimes de fraude em licitação na Prefeitura do Município de Ferreira Gomes, com a participação de secretários e servidores municipais, cooperativas de transportes e empresários do ramo da construção civil.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo