Polícia

PC concluí que empresário morto foi vítima de crime passional. Autor está foragido

A Polícia Civil chegou a conclusão que o empresário do ramo de açaí, Israel Farias dos Santos, de 38 anos de idade, executado com sete tiros na frente dos filhos no dia 5 deste mês, foi vítima de crime passional.

O suposto autor dos disparos, identificado como Jackson Ferreira dos Santos, de 36 anos, está sendo considerado foragido de Justiça desde a última sexta-feira, 7, quando teve o mandado de prisão decretado.

Para o delegado Wellington Ferraz, titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (DECIPE), não há dúvidas de que Jackson é o acusado da execução e que o pivô seja a ex-companheira da vítima.

Delegado Wellington Ferraz

“Ele [vítima] foi casado durante 19 anos com esta pessoa, tiveram três filhos e há seis meses estavam separados. Só que ele não aceitava a separação, mesmo ela não querendo reatar o relacionamento. Existia, inclusive, uma medida protetiva. Mas, tinha os filhos e volta e meia tinham que ter o contato. Nesse meio termo, ele começou a perceber o envolvimentos da ex com o acusado, que era amigo da família, e começaram aí a confusão entre eles dois. Então, na há dúvidas que o pivô desse crime foi uma mulher”, revelou Ferraz.

As investigações apontaram que Israel e Jackson tiveram vários desentendimentos, chegando a entrar em vias de fatos algumas vezes.

“Dessa discórdia, resultou em agressões físicas. E o estopim foi o dia que ele [Jackson] chegou ali na praça e matou. Matou na frente das duas criancinhas. Agora, a real motivação não sabemos. Algo aconteceu naquele dia e que precisa ser esclarecido. Mas, que o autor foi ele, existem indícios fortíssimos que foi”, disse o delegado.

Entre as testemunhas oculares, estão os filhos da vítima, uma menina de 5 e um menino de 3 anos de idade. De acordo com a autoridade policial, foram elas que chegaram em casa relatando que estavam com o pai na praça, onde iriam comer um churrasquinho, quando Jackson chegou e, depois de “bater” em Israel, efetuou os disparos, fugindo em seguida.

“Até agora ele não apareceu. Na sexta-feira, mediante todas essas provas e oitivas de testemunhas, pedimos a prisão dele e a juíza plantonista concedeu. Até acreditávamos que ele viesse se apresentar, aguardamos por isso, porém, não aconteceu”, esclareceu a autoridade.

A Decipe abriu um disque denúncia para que a população ajude na captura do Jackson. Todas as informações sobre o paradeiro dele podem ser repassadas para o 99170- 4302.

Relembrando o caso

Israel foi executado a tiros enquanto brincava com os filhos na Praça Céu da Artes, localizada no cruzamento da Avenida Carlos Lins Cortês com a rua Ouro Preto , no bairro Infraero II, Zona Norte de Macapá. O crime aconteceu por volta das 21h.

Dia do crime

O atirador chegou em um carro de cor vermelha, efetuou os disparos e se evadiu do local. Não foi levado nada, o celular da vítima e a chave do carro ficaram ao lado do corpo.

Peritos da Polícia Científica constataram sete entradas de bala no corpo do empresário. Seis deles na cabeça e um na região torácica. Alguns projéteis foram encontrados na cena do crime. A polícia acredita que o assassino usou uma pistola ponto 380 para matar Israel.

Vítima Israel estava separado

O suspeito do homicídio, de imediato, foi apontado como sendo Jackson, que é o proprietário de uma borracharia que fica em frente a casa da ex mulher da vítima.

De acordo com o que foi apurado pela polícia, ele teria usado o veículo do ex cunhado do empresário para fugir, e depois do fato mandado a filha devolver apenas as chaves do carro, que foi deixado às proximidades da residência do acusado.

Mandado de prisão

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Como que um borracheiro conseguiu uma arma de uso restrito Ponto 380???

    Premeditou e meteu 6 tiros na cara… Pra estragar o velório…

    Pronto Jackson agora vc já pode ser feliz… Com sua namorada…. E os filhos (dela) … (Isso foi ironia!!!)

    Que sua morte seja bem suave!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo