Polícia

PF apura desvios de 566 mil em hospital de campanha em Macapá

Foi deflagrada no início da manhã desta terça-feira (11), a operação “Tendas de Ouro”, que tem o objetivo de investigar fraudes em licitação que contratou um hospital de campanha para o Amapá durante a pandemia da Covid-19. Os policiais federais devem cumprir 5 mandados de busca e apreensão. Um dos locais visitados foi a Secretaria de Saúde.

A operação da PF tem apoio do Ministério Público Federal (MPF). Eles identificaram que foram desviados cerca de R$ 566 mil no contrato que tinha o valor de R$ 1,5 milhão.

Segundo nota da PF na licitação havia “indícios de direcionamento, sobrepreço, superfaturamento e pagamento em duplicidade”.

Os investigados devem responder pelos crimes de falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, associação criminosa e fraude à licitação. Se condenados podem cumprir pena de até 24 anos de reclusão.

Tendas de Ouro, refere-se ao nome da estrutura que fora utilizada para montar os hospitais de campanha, bem como tendas vem do verbo tender, o que bem explica o direcionamento tendencioso apurado. Já ouro simboliza o valor elevado gasto para apenas alugar as tendas por 6 meses.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo