AmapáSaúde

Associação de apoio a pacientes em tratamento fora do domicílio ingressa com ação civil pública pedindo distribuição de medicamentos para pacientes transplantados

A Associação Amapaense de Apoio aos Pacientes em Tratamento Fora de Domicílio ingressou nesta quarta-feira, 07, com ação civil pública contra a União, com o objetivo de garantir o restabelecimento da distribuição de medicamentos utilizados pelos pacientes transplantados.

De acordo com a entidade, desde 2017 os pacientes sofrem com a irregularidade no abastecimento de imunossupressores, que são utilizados para evitar a rejeição do órgão transplantado. As medicações são classificadas de alto custo e utilizadas em tratamentos de alta complexidade, fornecido apenas pelo Ministério da Saúde.

“No Amapá temos 1.700 pacientes que precisam fazer o uso continuo dessas medicações e pelo menos há três meses eles têm encontrado dificuldade para conseguir os remédios no Hospital de Clinicas Alberto Lima. Já enviamos ofícios para o Ministério da Saúde, para a Secretaria de Saúde do Estado e não temos um posicionamento”, relatou a presidente da associação, Ruany Soares.

A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) diz estar em tratativa com o Ministério da Saúde para o fornecimento das medicações, mas o mesmo tem alegado falta de matéria prima para a produção dos remédios. A Sesa também dará entrada em uma ação junto ao Ministério Público Federal (MPF) para que o órgão federal consiga uma solução para o desabastecimento.

No Brasil mais de 70 mil pessoas são transplantadas e outras 45 mil estão na fila por um transplante de órgão.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo