Polícia

Caso Kátia Silva: Defesa de Leandro garante que tiro foi efetuado pelo filho da vítima

A morte da empresária Ana Kátia Silva – ocorrida no dia 8 de julho do ano passado, pode estar prestes a ter uma reviravolta. Tudo porque, a defesa do acusado, o policial civil Leandro da Silva Feitas, de 30 anos de idade, garante que tem provas de que o disparo que vitimou a empresária, foi efetuado pelo próprio filho dela, Kadu Ribeiro.
Na noite desta segunda-feira, 8, o advogado de defesa de Leandro, Osny Brito, recebeu a equipe do Portal Alyne Kaiser para falar sobre as provas adquiridas através de um parecer técnico de reprodução simulada computadorizada em 3D forense, que, segundo ele, comprovam a inocência do policial.


“Esse foi um trabalho do perito Suello Mariano, que pode confrontar todas as perícias feitas pela Politec, e onde fica demonstrado que Leandro não efetuou o disparo que vitimou a senhora Kátia Silva”, garantiu Osny.


De acordo com o advogado, umas das principais materialidades que comprovam que o policial não é o culpado do crime, é o exame resíduo gráfico feito em Kadu. “O exame realizado no filho da vítima deu positivo para as duas mãos e isso tem que ser levado em consideração para a dinâmica do fato, pois ficou comprovado que o único disparo foi feito por terceiro, que saca arma de Leandro, atira, esse tiro transfixa o braço dele e acerta o peito da vítima”, explicou o advogado.


Ainda segundo Brito, há testemunhas arroladas ao processo que afirmam que Kadu confessou ter atirado. Outro ponto abordado pela defesa de Leandro, é em relação ao suposto relacionamento amoroso entre o acusado e Kátia. “Ressaltamos que o laudo realizado no aparelho celular do meu cliente, juntado esta semana no processo, comprova que ele não tinha nenhum relacionamento com a vítima. Fica confirmado que apenas um dia antes do fato eles trocaram mensagens. Então, não se trata de feminicídio”, garantiu a defesa do policial.

No próximo dia 6, será realizada a primeira audiência de instrução e julgamento.

VEJA O VÍDEO COM A ENTREVISTA COMPLETA

O caso

Ana Katia que era empresária do ramo alimentício na capital amapaense, foi morta aos 46 anos, com um único tiro na região do peito, durante uma festa de aniversário que acontecia na casa do filho dela, localizada na avenida Lua, no bairro Jardim Marco Zero.

A época, Leandro foi apontado como o principal autor do disparo. Ele foi preso em flagrante e autuado pelo crime de feminicídio. O mesmo chegou a ficar cinco meses recluso no Centro de Custódia do bairro Zerão. Hoje, afastado de suas atividades, o policial aguarda pelo julgamento em regime domiciliar.
Há três dias, os advogados da família de Katia, também realizaram uma reconstituição do crime.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo