Polícia

Criminoso que amedrontava moradores morre ao atirar em policiais do CHOQUE na Zona Sul de Macapá

O confronto aconteceu na manhã deste sábado, 1. Através de uma denúncia anônima, uma equipe do CHOQUE, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar, chegou a uma área de ponte, localizada na avenida Ivaldo Alves Veras, no bairro Jardim Marco Zero – Zona Sul da cidade de Macapá.

A informação repassada ao disque denúncia do Bope, dava conta que um grupo de indivíduos estaria armado com armas de fogo e efetuando disparos, deixando os moradores da região temerosos.

Segundo consta no Boletim de Ocorrências (BO), com a chegada dos policiais, foi feita uma tentativa de abordagem. Porém, ao perceber a presença do militares, o bando se dispersou . Parte pulou na área de lago e outra adentrou em uma residência.

A equipe fez o adentramento na casa e, de acordo com o que foi descrito no BO, foi surpreendida com tiros, dados por um dos suspeitos. Houve revide e no confronto, o elemento identificado como Ismael Pinheiro de Souza, acabou baleado. Os comparsas dele conseguiram fugir.

O socorro médico foi acionado. No entanto, quando a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) chegou, foi apenas para constatar que Ismael não havia resistido.

No imóvel foi feita uma busca minuciosa e a equipe do CHOQUE encontrou algumas porções de substâncias entorpecentes, balança de precisão e certa quantia em dinheiro. O que, segundo a polícia, caracteriza que naquele local funcionava um ponto de comercialização de drogas.

Ismael era velho conhecido da polícia e possuía várias passagens pelos crimes de tráfico de drogas e roubo. Ele estava cumprindo pena em regime domiciliar e era monitorado por uma tornozeleira eletrônica. O corpo dele foi removido pelos peritos da Polícia Científica. A arma de fogo usada por ele para abrir fogo contra os militares e os materiais apreendidos, foram apresentados na delegacia.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo