Polícia

Defesa consegue relaxar prisão de militares acusados de homicídio ocorrido em 2019

A defesa dos policiais militares Wagner Marinho da Trindade, Kim Félix da Silva, Marcos Gama, Aretha Amorim e Liege Espíndola conseguiu relaxar a prisão preventiva dos cinco policiais que estão sendo investigados por suposto envolvimento num homicídio ocorrido em julho de 2019. O alvará de soltura foi expedido nesta segunda-feira, 26.
O advogado de defesa dos militares, Charlles Bordalo, havia pedido a revogação da prisão por entender que a prisão foi desnecessária. “Eles foram ouvidos como suspeitos e prestaram todos os esclarecimentos. Não havia a necessidade dessa prisão se eles estão colaborando com as investigações e isso o desembargador João Lages entendeu e relaxou a prisão, tornando assim essa prisão ilegal”, disse o advogado.

Advogado que defende os militares disse que a prisão é ilegal


Os militares foram presos no dia 16 deste mês e levados para o Centro de Custódia Estadual. Eles são acusados de terem participado do assassinato do jovem Rui Guilherme Vieira dos Santos Filho, de 19 anos, assassinado a tiros no dia 3 de julho de 2019 por volta das 3h13 da madrugada.
Naquele dia, Rui e um amigo Gleidson estavam participando de uma festa numa conveniência na Rodovia JK. Minutos antes do crime, segundo o delegado, eles teriam se envolvido numa discussão. As vítimas teriam pedido um carro de aplicativo para irem embora quando foram cercadas por diversas pessoas.
Na tentativa de fugir do grupo, os dois foram encurralados. Imagens de câmeras de segurança mostram o crime.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo