Polícia

LGBTfobia: ex-candidato a prefeitura de Macapá é indiciado pela Polícia Civil

A Polícia Civil do Amapá, através da 5° Delegacia da Capital, indiciou na manhã desta segunda-feira, 3, o pastor e político Guaracy Júnior, candidato à prefeitura de Macapá nas eleições de 2020, pelo Partido Liberal Social (PSL).

De acordo com informações, o Inquérito Policial (IP) apura um suposto ato de racismo praticado por Guaracy durante a campanha eleitoral do ano passado, contra a comunidade LGBTQI+.

O candidato derrotado no primeiro turno, teria declarado durante uma live, neutralidade no segundo, em razão de os dois candidatos – Josiel Alcolumbre (DEM) e Antônio Furlan (Cidadania) – demonstrarem simpatia pelas causas do movimento.

A manifestação do presidente das igrejas Quadrangular no Estado, aconteceram no dia 10 de dezembro, enquanto o mesmo estava em um leito de hospital, se recuperando da Covid-19.

À época, a alegação de Guaracy, que dias depois expôs apoio ao candidato que acabou eleito, revoltou a classe. Lideranças dos movimentos LGBTQI+s amapaense emitiram nota de repúdio à declaração dele e procuraram a polícia. Um Boletim de Ocorrência (BO) coletivo foi registrado e iniciaram então as investigações a cerca do fato.

O ex-candidato foi intimado, porém não compareceu em nenhuma das vezes que foi solicitado na delegacia para prestar esclarecimentos. O líder religioso foi indiciado no crime de “LGBTfobia”, crime de racismo qualificado pelo ato de praticar, induzir ou incitar a discriminação ou o preconceito.

O IP foi remetido para o Ministério Público (MP), que deve decidir denunciar ou não Guaracy.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo