JustiçaPolícia

Motorista de BMW: defesa diz que Dawson não tem como pagar indenização aos filhos de vítima do acidente

Advogado da vítima pede que motorista pague indenização até que crianças completem 25 anos de idade.

A Justiça amapaense determinou que em até 72 horas o motorista da BMW branca, Dawson Rocha, apresente o comprovante de pagamento, no valor de R$ 4,4 mil, aos dois filhos do chef de cozinha Mickel da Silva Pinheiro, que morreu no acidente ocorrido no ano passado. Segundo informações, a quantia é referente aos meses de setembro e outubro.

Colisão vitimou o Cheff Mickel Pinheiro e Rosineide Aragão

Desde agosto, Dawson foi intimado a pagar o valor de um salário mínimo como indenização para cada filho da vítima, até o final do processo. Mas, até o momento, o acusado não apresentou o comprovante e nem a contestação. Ainda segundo informações, caso o mesmo não apresente a comprovação, terá as contas bloqueadas pela Justiça.

A decisão foi do juiz Antônio Ernesto Colares, da 1ª Vara Civil de Macapá. O advogado da família de Mickel quer que o motorista pague o valor até as crianças completarem 25 anos de idade.

Na BMW foi encontrado garrafa de cerveja

Nossa equipe procurou a defesa de Dawson. Por telefone, o advogado Charles Bordalo disse que irá entrar com um agravo sobre a decisão, uma vez que ele alega que seu cliente não tem condições de pagar a quantia. “Eu vou comunicar ao juiz que ele não tem como pagar. Ele [Dawson] não tem casa, não tem carro, não tem nada. Nem conta em banco ele tem. É uma pessoa totalmente sem recursos e que hoje vive de favores. Até o restaurante que ele tinha, e que era o ganha pão dele, teve que vender”, declarou Bordalo. 

Advogado diz que Dawson não tem fonte de renda para pagar indenização

Mickel dirigia o celta que foi atingido pela BMW de Dawson, que trafegava, segundo as investigações, a 180 km/h. O acidente aconteceu no dia 15 de janeiro de 2020, na Avenida Padre Júlio, no bairro Santa Rita.

A época, Dawson foi preso em flagrante e chegou a ficar por três meses no Iapen, cumprindo prisão preventiva. A polícia disse que o motorista dirigia sob efeito de álcool e cocaína. O acidente também vitimou a auxiliar de cozinha Rosineide Aragão.

Polícia diz que Dawson dirigia sob efeito de álcool e droga

Em setembro, a Justiça decidiu que Dawson será submetido a júri popular.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo