Política e Economia

Randolfe recorda luta por inclusão de policiais como grupo prioritário de vacinação; senador recorreu ao STF

Randolfe recorda luta por inclusão de policiais como grupo prioritário de vacinação; senador recorreu ao STF

A imunização de profissionais das forças de segurança pública do Amapá contra a Covid-19 começou nesta segunda-feira(5). Pelo menos 350 deles deve tomar a primeira dose da vacina nos próximos dias.

Para profissionais de áreas consideradas de risco serem incluídos no grupo prioritário de vacinação foi preciso mobilizações de estados, municípios e iniciativas como a do senador Randolfe Rodrigues, que chegou a recorrer ao Supremo Tribunal Federal pela garantia do segmento como grupo prioritário.

No dia 21 de outubro do ano passado, o parlamentar protocolou no STF uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) defendendo a urgente necessidade de incluir estes profissionais no plano de vacinação.

“Eles estão nas ruas todos os dias defendendo os cidadãos contra a violência, se expondo ao risco de serem contaminados. Além de colocaram seus familiares em risco também. Nada mais justo do que serem vacinados o mais rápido possível” disse o senador na época.

A ADPF de Randolfe foi acatada pelo STF e o grupo da segurança pública foi
Incluído no Plano Nacional de Imunização como prioritário.

Inclusão de segurança e educação
Além disso, o Supremo decidiu atender outros pedidos constantes nas ADPFs 754 e 756 também de autoria de Randolfe.

E assim foram incluídos: trabalhadores da educação, sendo todos os professores e funcionários das escolas públicas e privadas do ensino básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA) e do ensino superior; e das Forças de Segurança e Salvamento: policiais federais, militares, civis e rodoviários; bombeiros militares e civis; e guardas municipais. (Asscom) (Foto: Lee Amil)

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo