AmapáCovid-19

Santana começa a vacinar profissionais da segurança pública contra Covid-19

A vacinação contra a Covid-19 para os profissionais das forças de segurança pública, que atuam no município de Santana, começou nesta segunda-feira (05). Nesta primeira etapa, 40 doses foram disponibilizadas, contemplando oficiais do 4º Batalhão da Polícia Militar, Batalhão de Polícia Ambiental e Polícia Civil.

O planejamento de aplicação das doses foi definido em reunião conjunta entre a Secretaria Municipal de Saúde e representantes das corporações atendidas. A Secretária de Saúde, Ithiara Madureira, explicou que a imunização contemplará todos que estão na ativa e ocorrerá de modo escalonado. “As forças de segurança e salvamento também estão na linha de frente, são um dos grupos que mais se expõem aos riscos de contágio e transmissão do vírus”, enfatizou a gestora.

Cada corporação definiu a lista de prioridades dos servidores que serão vacinados com base na atividade exercida e atuação na linha de frente e combate à pandemia, além da idade.

O cabo Maurinei Machado foi o primeiro oficial do 4° Batalhão de Polícia Militar a ser vacinado. O militar foi acometido pela covid-19 em abril do ano passado e ficou 28 dias em tratamento. Um ano depois, foi uma grande vitória ser imunizado. “Foi um momento muito difícil da minha vida, tive falta de ar e todos os sintomas que essa doença acarreta. A vacina chegou e a esperança é que todos da corporação sejam imunizados”, comentou.

O delegado da Polícia Civil, Sandro Torrinha, destacou que a imunização desses profissionais é essencial para continuidade dos serviços desempenhados diante da pandemia. “Só agradecer à Prefeitura de Santana que tem colaborado e disponibilizou essas doses iniciais para imunizar a segurança pública”, disse.

A Prefeitura de Santana aguarda a disponibilidade de mais doses para dar continuidade à imunização desse público, uma vez que a vacinação ocorrerá de acordo com a chegada de vacinas ao município. Para a imunização desse grupo, o Ministério da Saúde reservará pelo menos 6% das doses em cada lote entregue ao Amapá.

A expectativa é que no menor prazo possível todos os profissionais da segurança pública sejam imunizados.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo